“SURDINHO” SALVOU A CAVALHADA DOS DRAGÕES

Nos idos dos anos 60/70, houve uma avalanche de transferências de órgãos públicos federais do Rio (ex-capital) para Brasília (nova capital do País). Quando chegou a vez de se transferir o 1o RC Gd – 1oRegimento de Cavalaria de Guardas, “Os Dragões da Independência”, encarregados da guarda e do cerimonial da Presidência da República, o problema maior foi com o transporte de centenas de cavalos que eram os “mimos” de todos os integrantes do regimento. Houve um momento em que alguém responsável pela mudança das unidades militares perguntou ao comandante dos “Dragões”, Cel João Baptista Figueiredo (futuro presidente da República), se não seria mais fácil e econômico descartar toda a cavalhada (com alguns anos de serviço) e comprar outra mais nova lá no Brasil Central. Figueiredo, indignado com tal proposta, retrucou de pronto: 

– De jeito nenhum! Muitos desses animais têm quase 20 anos de adestramento para as mais variadas atividades, da escolta a cavalo até o desfile da tropa. Inclusive, toda a banda de música desfila montada, tocando seus instrumentos musicais. 

E, para exemplificar melhor suas alegações, mandou trazer, para mostrar a seu interlocutor, o cavalo “Surdinho”, que mal se aguentava nas pernas de tão velho, mas ostentava o garbo dos animais mestiços criados no pampa gaúcho. 

– Tá vendo este aqui? É o cavalo “Surdinho”, que carrega os dois bumbos da banda do regimento. O músico solta as rédeas e fica batendo naqueles tambores barulhentos e ensurdecedores, um de cada lado da sela, sem que o “Surdinho” saia dos trilhos no desfile. Imagina quanto tempo vai levar para se treinar outros (e deixá-los surdos, inclusive…) 

Graças ao “Surdinho”, ninguém mais falou em descartar os velhos cavalos dos Dragões, que chegaram sãos e salvos em Brasília, prestando ainda muitos anos de serviços aos presidentes JK, Jango, Castelo Branco, até serem substituídos. 

Autor: Cel Brasil Carus. Publicado no Jornal Diário da Fronteira em 17 AGO 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *