O Polo e a instrução da Tropa Blindada

Extrato do livro “A Força Mecanizada”, de autoria de Paul C. Raborg, 1947.

O treino de cavalaria dos tempos idos é por excelência a base de experiência do oficial do serviço blindado de nossos dias, porque nele instilou a vontade de romper. É esse o fundamento do Serviço Blindado dos Estados Unidos. O General Adna R. Chaffee, seu organizador, era um cavalariano notável e impetuoso. Muitos de seus oficiais subordinados fizeram parte de nosso serviço montado, na cavalaria ou na artilharia de campo. O Polo foi principalmente introduzido no Exército e aconselhado pelo Departamento de Guerra porque simula a ação de choque montado. Esse jogo ensina aos oficiais a tomar decisões imediatas enquanto galopam a toda velocidade e sob influência de grande excitação. A necessidade de decisões rápidas para oficiais de tanque correndo com a velocidade de um automóvel é ainda maior.

Depois da Primeira Guerra Mundial, Adna Chaffee empenhou todos os seus esforços na instituição de um verdadeiro serviço mecanizado em nosso exército. Ao ser promovido a brigadeiro em 1938, deram-lhe o comando de nossa única brigada de cavalaria mecanizada naquela ocasião, a qual consistia em motocicletas, carros de investigação, carros blindados e tanques ligeiros (10 toneladas). Neste posto, Chaffee criou uma base ideal para o nosso atual serviço blindado. Senti verdadeiro choque ao ver o General Chaffee e sua brigada de cavalaria mecanizada desfilar pela Quinta Avenida de Nova York, sob estandartes amarelos de nossos antigos regimentos de cavalaria regular, com os guiões brancos e encarnados tremulando sobre tanques e não sobre cavalos e os sabres cruzados dos cavalarianos estampados nos lados dos veículos motorizados, o que demonstrava claramente que a cavalaria de ontem é o corpo de tanques de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *